Aug 31 2012

Workshop de Som com Chris Newman e Tom Fleischman

A RioMarket em parceria com o Festival de Cinema do Rio de Janeiro proporciona nos dias 28 a 30 de setembro um workshop de som no cinema com dois profissionais de grande destaque e referência na área. Chris Newman e Tom Fleischman, que juntos possuem 13 indicações ao Oscar, foram responsáveis pela captação de som direto e a mixagem de filmes como por exemplo: “O Poderoso Chefão”; “O Silêncio dos Inocentes”, “A Invenção de Hugo Cabret”, “MIB 3″, dentre muitos outros.

“Seja uma perseguição de carros de “Operação França”, as cenas finais de “O Silêncio dos Inocentes” ou os ruídos das engrenagens do autômato em “A Invenção de Hugo Cabret”, o som desempenha um papel crítico na criação da descrença necessária para a audiência ser transportada para dentro da história.

Chris Newman e Tom Fleischman, demonstrarão como os áudios gravados no set são essenciais para a concepção sonora do filme. A apresentação incluirá trilhas gravadas ao vivo combinadas com clipes de “Operação França” (1971) “O Silêncio dos Inocentes” (1991), “Filadélfia” (1993) e “A Invenção de Hugo Cabret” (2011).”

Mais informações e inscrições em: www.riomarket.com.br


Aug 26 2012

Contexto espacial como conceito de som – parte 2

Complementando o último episódio da série, o Operário Criador publicou esta semana a segunda parte do tema “Contexto espacial como conceito de som”.

“A velha polêmica ‘boom x lapela‘ volta para o debate. A busca da sensação de pertencimento do som a um determinado espaço diegético, ainda no set de filmagem durante a captação, é um desafio diário. A equação se complica ainda mais quando o espaço em que se filma não é o espaço da representação visual/narrativa. Como resolver essa questão tão delicada?”

Mais em: Som de Filmes


Aug 20 2012

Som de Cinema em 3-D

Saiu na última edição da Revista Produção Áudio um artigo escrito por Luiz Adelmo Manzano sobre os sistemas de som surround para cinema 3D e as novas faces da imersão sonora cinematográfica. Clique na imagem abaixo para acessar a versão eletrônica da revista e conferir a matéria na íntegra nas páginas 32 a 34.

 


Aug 14 2012

Operário Criador: o contexto espacial como conceito de som

Mais um episódio do Operário Criador. Desta vez discutindo o contexto espacial como conceito de som no cinema.

“O ser humano tem um sistema auditivo muito sofisticado, capaz de interpretar a percepção de tempo de reverberação como informação espacial, ou seja, capaz de se localizar espacialmente através de informação sonora. Walter Murch é um fã incondicional do contexto espacial como conceito de som e de sound design, o que ele denominou “worldizing”. Este episódio do Operário Criador trata exatamente desta sensação de pertencimento do som a um determinado espaço físico em função das reflexões e do comportamento do campo de reverberação.”

Mais no blog: Som de Filmes

 


Aug 7 2012

Branko Neskov: mixando no Brasil

Quem acompanha o cotidiano da pós-produção do cinema brasileiro, sempre esteve acostumado com o flerte dos produtores brasileiros com editores de som, mixadores ou mesmo estúdios do exterior desde sempre. Já nos tempos de Vera Cruz, passando pela “importação” de editores como Emmanuelle Castro nos anos 1970 (“Bye Bye Brasil”, de 1979, “O Beijo no Asfalto”, de 1981), passando pela necessidade de intercâmbio desde os anos 1980 com estúdios americanos – muito por conta da introdução e da implementação do sistema Dolby no cinema nacional –, e frequentemente verificando muitos filmes nacionais tendo o som ou editado ou mixado nos estúdios da Filmosonido, de Marcos de Aguirre, no Chile, a produção nacional sempre apresenta uma co-operação com técnicos estrangeiros.

Recentemente, uma das presenças mais constantes no universo da mixagem dos filmes nacionais é a do mixador Branko Neskov. Num espaço de tempo de cinco anos, Branko apresenta em seu currículo créditos como “Chico Xavier”, “Primo Basílio”, “Céu de Suely”, “Budapeste” e “Muito Gelo e Dois Dedos d’Água”. E a participação que inicialmente se restringia a filmes que iam ao encontro de Branko para mixagem em seu estúdio Obviosom em Lisboa, Portugal, aos poucos tem-se expandido, com sua visita frequente para mixagens em estúdios brasileiros. Continue lendo