Jan 27 2012

Entrevista com o mixador Paulo Gama: Parte II

 

Dando continuidade a entrevista com o mixador Paulo Gama, segue a última parte.

 

Artesãos do Som: Qual o papel criativo do mixador em um filme?

Paulo Gama: Eu acho que o mixador, mais do que um grande criador, ele tem que ser um grande artesão. O sound designer sim, este tem que ser um grande criador. O mixador também tem que conhecer e dominar o processo de criação, mas não é a essência do trabalho dele. Você tem que saber fazer um uso criativo dos elementos sonoros, mas o seu trabalho é antes de mais nada artesanal. Tem uma questão também da criatividade técnica. Você saber usar os recursos de forma criativa pra solucionar um problema. Vou citar um exemplo… eu estava mixando aquele filme Quebradeiras, um documentário sobre quebradeiras de coco de babaçu da Ilha do Marajó. Quando o cara gravou, ele estava usando aquele AGC (Automatic Gain Control) na câmera. Continue lendo


Jan 20 2012

Entrevista com o mixador Paulo Gama: Parte I

 

Em dezembro do ano passado estive com o mixador Paulo Gama para um bate papo que rendeu uma entrevista aqui para o site. Dentre os últimos trabalhos do mixador paulistano estão os filmes O Palhaço (Selton Mello, 2011), Bruna Surfistinha (Marcus Baldini, 2011) e Trabalhar Cansa (Marco Dutra e Juliana Rojas, 2011). Pela extensão da entrevista, vou partilha-la em II posts.

 

Artesãos do Som: Vou começar com uma pergunta clássica pra você ir aquecendo. Conte sobre sua trajetória pessoal com o som e o cinema?

Paulo Gama: Começou lá pelos idos de 1996… 1997. Minha irmã trabalhava com produção de publicidade e eu fui fazer um estágio com ela durante um ano. Não aguentei muito e pedi demissão. A gente brincava que o trabalho era de “bombeiros do inferno”, apagar incêndio o tempo inteiro. Algum tempo depois minha mãe, que é escritora de livros, foi convidada por um primo meu que tem um estúdio, para fazer um audiobook. Como era um primo que eu não via fazia tempo, minha mãe me chamou para ir junto. Esse meu primo era sócio da Miriam Biderman na época. Continue lendo


Jan 17 2012

Homenagem a Remo Usai


Remo Usai é considerado o compositor mais prolífico da história do cinema brasileiro. É autor de mais de 140 trilhas musicais para longas e curtas-metragens, entre eles: Mandacaru Vermelho (Nelson Pereira dos Santos, 1961), Assalto ao Trem Pagador (Roberto Farias, 1962) e Boca de Ouro (Nelson Pereira dos Santos, 1963). O premiado documentário Remo Usai: um músico para o cinema (Bernardo Uzeda, 2008) homenageia e resgata a trajetória do maestro.

Para quem quiser se aprofundar mais sobre a obra de Remo Usai, há ainda a tese de doutorado: A Música de Remo Usai no Cinema Brasileiro (por Martin Eikmeier. UNICAMP, 2010).

Boa sessão!